Como viajar no tempo

0 192

Você acha que é possível viajar no tempo? Se sua resposta for sim, você está completo de razão. Isso é possível, embora algumas pessoas ainda estejam tentando desenvolver alguns métodos eficazes para isso.

Assim, vamos ver agora como isso é possível por meio de algumas coisas de nosso dia a dia.

Viajar no tempo através da velocidade

Esta é a maneira mais fácil e prática de chegar ao futuro distante – corra muito rápido.

De acordo com a teoria da relatividade especial de Einstein, quando você viaja a velocidades próximas da velocidade da luz, o tempo diminui para você em relação ao mundo exterior.

Esta não é apenas uma conjectura ou experiência de pensamento – foi medida. 

Usando relógios atômicos gêmeos (um voado em um avião a jato, o outro estacionário na Terra), físicos mostraram que um relógio voador é mais lento, devido à sua velocidade.

No caso da aeronave, o efeito é minúsculo. Mas se você estivesse em uma nave espacial viajando a 90% da velocidade da luz, veria o tempo passando cerca de 2,6 vezes mais lentamente do que na Terra.

E quanto mais perto você chega da velocidade da luz, mais extrema é a viagem no tempo.

Viajar no tempo por meio da gravidade

O próximo método também é inspirado por Einstein. De acordo com sua teoria da relatividade geral, quanto mais forte a gravidade, mais lento o tempo se move.

À medida que você se aproxima do centro da Terra, por exemplo, a força da gravidade aumenta. O tempo corre mais devagar do que a sua cabeça.

Mais uma vez, este efeito foi medido. 

Em 2010, físicos do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) dos EUA colocaram dois relógios atômicos em prateleiras, um a 33 centímetros acima do outro, e mediram a diferença em sua taxa de incidência de tiques. 

O inferior marcou mais devagar porque sente uma gravidade ligeiramente mais forte.

Para viajar para o futuro distante, tudo o que precisamos é de uma região de gravidade extremamente forte, como um buraco negro. 

Quanto mais perto você chega do horizonte de eventos, mais lento o tempo se move – mas é um negócio arriscado, cruzar o limite e você nunca pode escapar.

E de qualquer forma, o efeito não é tão forte, então provavelmente não vale a pena a viagem.

Animação suspensa

Outra maneira de viajar no tempo pode ser retardar a percepção do tempo diminuindo ou interrompendo os processos corporais e, depois, reiniciando-os mais tarde.

Os esporos bacterianos podem viver por milhões de anos em um estado de animação suspensa, até que as condições certas de temperatura, umidade e alimentação retrocedam novamente o metabolismo. 

Alguns mamíferos, como ursos e esquilos, podem retardar seu metabolismo durante a hibernação, reduzindo drasticamente a necessidade de comida e oxigênio das células.

Os humanos poderiam fazer o mesmo?

Apesar de parar completamente o seu metabolismo é provavelmente muito além da nossa tecnologia atual, alguns cientistas estão trabalhando no sentido de conseguir induzir um estado de hibernação de curto prazo com duração de pelo menos algumas horas. 

Isso pode ser tempo suficiente para levar uma pessoa a uma emergência médica, como uma parada cardíaca, antes que ela chegue ao hospital.

Em 2005, cientistas americanos demonstraram uma maneira de retardar o metabolismo de camundongos (que não hibernam), expondo-os a doses diminutas de sulfeto de hidrogênio, que se liga aos mesmos receptores celulares que o oxigênio. 

A temperatura corporal do núcleo dos ratos caiu para 13 °C e o metabolismo diminuiu 10 vezes. Depois de seis horas, os ratos podiam ser reanimados sem efeitos nocivos.

Infelizmente, experimentos similares em ovelhas e porcos não tiveram sucesso, sugerindo que o método pode não funcionar para animais maiores.

Buracos de minhoca

A relatividade geral também permite a possibilidade de atalhos através do espaço-tempo, conhecidos como buracos de minhoca, que podem ser capazes de cobrir distâncias de um bilhão de anos-luz ou mais, ou diferentes pontos no tempo.

Muitos físicos, incluindo Stephen Hawking, acreditam que os wormholes estão constantemente surgindo e desaparecendo na escala quântica, muito menores que os átomos. 

O truque seria capturar um e inflar em escalas humanas – um feito que exigiria uma enorme quantidade de energia, mas que poderia ser apenas possível, em teoria.

Tentativas de provar isso de qualquer forma falharam, em última análise por causa da incompatibilidade entre a relatividade geral e a mecânica quântica.

Conclusão

Viajar no tempo é possível sim, embora nossa tecnologia atual não defenda muito disso ainda. Por isso, tenhamos esperança, pois em um futuro não muito distante, teremos viagens no tempo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.